Mural SPRGS - SPRGS

Ir para o conteúdo

Vidas negras importam

SPRGS
Publicado por em Voz da Sociedade · 5 Junho 2020
Voz da Sociedade
#vidasnegrasimportam
(autoria dos membros do Comitê de Psicanálise)*
Em virtude dos acontecimentos dos últimos tempos, o Comitê de Psicanálise da Sociedade de Psicologia do Rio Grande do Sul vem por meio deste posicionar-se a favor da luta das pessoas negras.

Entendendo a relevância desta, gostariamos de apontar para a necessidade de repensarmos o racismo na cultura vigente e as formas de reprodução do mesmo. Essa é uma pauta que não deve se resumir ao dia 02 de junho, dia em que fora levantada as máximas "blackouttuesday" e "black lives matter". Que possamos fazer destes marcos para revermos internar e externamente nosso papel enquanto sujeitos que reproduzem, silenciam ou mesmo compactuam com discursos racistas e ações segregadoras.

A luta da população negra é de longa data, porém acreditamos que a psicologia e a psicanálise, enquanto ciências e éticas que buscam compreender a subjetividade e o sofrimento humano, devam se colocar a disposição dos sujeitos e dos dispositivos da cultura para que possamos aprender e oferecer nossa escuta a favor da luta contra o racismo. Dessa forma, frente ao cenário político que vivemos, o Comitê se posiciona contra toda e qualquer forma de opressão bem como repudia quaisquer discursos e ações facistas. Vivemos tempos sombrios e sentimos a necessidade de trazer luz a tais temas a fim de atravessarmos este momento juntos.

Promover uma psicanálise que esteja implicada diretamente nas raízes do mal estar e nos sintomas da sociedade, não tem sido tarefa simples: diariamente estamos sendo convidados a repensar o princípio da angústia da comunidade em geral e sobretudo da população negra. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2018), a população preta e parda, ultrapassa os 100 milhões de brasileiros, ou seja, mais de 55% da população, tem a pele pintada de “alvo”.  Algo que, coisifica o corpo negro, desumaniza e ceifa o direito de ser humano. Direitos estes, de se constituir como sujeito e principalmente, direito a infância de muitas crianças negras e bebês negros, subjetivando-os desde de muito cedo, tal como, a biografia de Miguel Otávio Santana da Silva, de cinco anos, que chegou ao fim na última terça-feira (02), tão precocemente pelas mãos impiedosas do racismo.

Ao “invisível” que mata a cada 23 minutos um jovem negro no Brasil, dados oficiais, publicados no Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde (2019) e atualizados desde 1988, pelo trabalho do sociólogo Júlio Jacobo Waiselfisz, no Mapa da Violência. Mais do que nunca, a psicanálise é convocada a tornar-se porta voz da coletividade e lançar-se, para um outro momento da trajetória da profissão, pautada no respeito e na promoção da liberdade, da dignidade e da integralidade de todxs (Código de ética, 1971) e não somente, a serviço  de um setor político e econômico, bem como, outrora no passado o fez.

#vidasnegrasimportam
*Texto escrito pelos membros do Comitê de Psicanálise:
Bruna Mello da Fonseca
Laura Gonçalves de Quadros
Jaqueline Batista da Silva
Jordan Nunes da Silva
Paula Pereira dos Santos
Dayane Silva Duarte



Sprgs
Rua Felipe Neri, 414 conj 202 Auxiliadora
90440-150 Porto Alegre RS

51. 3331-8586
51. 99527.3920

Sociedade de Psicologia do Rio Grande do Sul
Voltar para o conteúdo