Pedofilia e pornografia infanto-juvenil: o mal que invade nossas casas

Eliane Tonello, Luiz Walmocyr Jr.

Resumo


O presente artigo resulta da experiência investigativa junto à Polícia Federal do Estado do Rio Grande do Sul no enfrentamento à disseminação da pornografia infanto-juvenil na Internet. O olhar psicanalítico frente ao fenômeno conhecido como pedofilia investiga o trauma psicológico das vítimas de abuso sexual, camuflado pelo silêncio nas famílias. A junção dos aspectos investigativo e psicanalítico proporciona uma ampla visão deste complexo fenômeno que gera consequências graves e incapacitantes, desconhecidas para algumas pessoas. É importante salientar que as considerações tecidas estão alicerçadas no restrito número de publicações e estudos estatísticos na área, bem como em experiências de campo. O ser humano para que tenha um desenvolvimento saudável necessita de um ambiente protetivo e cuidadoso, e a psicologia surge como possibilidade de minimizar e dar um destino à dor psíquica, para que futuras gerações não permaneçam aprisionadas em vazios dilacerantes. O clamor popular exige, com razão, a identificação e a punição exemplar de abusadores. É necessário punir abusadores, mas também proteger e amparar as vítimas, detectando e tratando os graves traumas psicológicos causados, visando diminuir a ação destes no desenvolvimento sadio de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.